O cérebro alimenta-se de informação: a alma, de relação.”
António Coimbra de Matos